segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Para mim a vida deve ser encarada de forma simples sem grandes divagações. Essa Mulher linda gosta de ser admirada e eu amo admira-la, registrar cada "aparição de maravilha", inundar a alma com formas que mais parecem doses de uma poção provocadora de êxtase sem fim. Imaginar seu corpo uma estrada infinita e meus lábios um veículo a percorre-la desvendando todos os seus mistérios e sonhos mais recônditos, naquele momento glorioso também meus. Mostra Mulher fascinante o que é único e belíssimo, faz-me sonhar, faz-me crer que a felicidade existe e também voce. By Zetigre

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

...E essas flores são pedacinhos de voce que se desprenderam a cada olhar, cada abraço carinhoso e cada ato de solidariedade que não ficam para trás quando nos distanciamos na longa estrada mas nos acompanham nos pensamentos daqueles a quem nos doamos nos transmitindo a certeza de que não estamos sós. By Zetigre

domingo, 18 de setembro de 2011

Lugar comum

Ás vezes tenho vontade de, como todos os mortais, cair aos seus pés, repetir que voce é linda, maravilhosa e outras tantas que só a voce eu diria...

Lugar incomum

O que é invisível aos meus olhos,minha imaginação devassa. Os pilares do templo sagrado do amor, guardam o ouro palatável que nem tantos podem provar, menos ainda sabem faze-lo e apenas um o faria de forma especialmente inesquecível.
Dá-me condição e veja o que acontece...
This Is a part of the show: living, suffering, crying, smyling. Do not be afraid, just be happy. If someone hurted you In the past, there's another one willing to make you a happy woman. Give him a chance... By Zetigre

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Dóra Varga

Matar-me-ias facilmente mas com as mãos nuas e esses lábios ardentes golpeando-me sem piedade, sugando-me à exaustão. Doce seria sucumbir sob o assédio de tua volúpia, sufocado pela pressão do teu peito sobre o meu...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Parede

Sabe parede...
Mais uma vez a noite traspassa
A fragilidade do sono que foge
E mais uma vez todos os sons da noite
Se transforman nos únicos companheiros presentes
...Presente o latido ao longe,
O ruído da turbina que se afasta,
As gotas de chuva sobre o teto...
Presente a solidão que ronda.
Sabe parede, às vezes eu gostaria
Que tu fosses uma pessoa com alma
Que me contasses as tuas tristezas
Mas que tivesses paciência para para ouvir o que tenho para te dizer.
Sabe parede...
Eu gostaria que tu não fosses como as pessoas: tão fria e tão muda.

Obra de Zetigre

domingo, 11 de setembro de 2011

Despertar

Quando olhei nos teus olhos
Ví o tempo retroceder...
O desejo nascido na infância tenra
Renasce e vibra na gêmea sintonia
De quem há pouco despertou, para a vida...
O irresistível apêlo da menina-Mulher em tua face,
As delicadas suaves mãos regentes
Vibram o instrumento maior,
Ressoam isha sensibilidade tua...
Madeixas de sêda derramam sensualidade sobre um templo de prazer.
Prazer que só agora descubro
Despertado que sou pelo mover do teu existir
Prazer ao ouvir tua voz, gôzo eterno,
Prazer observando o desfilar da tua beleza,
Rainha entre as maravilhas tuas curvas formosas.
Quando te toquei...
Quando me tocaste,
O néctar dos lábios teus
Incendiaram em doces ardentes chamas o meu existir...

Obra de Zetigre.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Hora melhor

Demorou...
O marcador registrou a hora melhor tua chegada,
Fico aflito.
Preparo-me para as boas vindas
Quando finalmente ouço teus passos.
Teu perfume preenche o espaço,
Invade os arredores,
Os interiores recônditos refúgios só nossos...
Energiza o desejo e a imaginação.
Não há tempo ou espaço.
Há apenas um esperado momento nunca suficiente...
A sêde de tí é insaciável.
A porta se abre...
Demorados um abraço e um beijo te saúdam
Passaporte para a hidro
Terapia fusão de corpos e mente na integração infinita da água, do espaço, do tempo...

Obra de Zetigre

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Efeitos refeitos...

Os sinais do teu caminhar deixam marcas no solo
Mais além impressionam a alma que chora.
Por onde passas há rastro de esperança
Mas o desejo se mistura ao soluço incontido
O meu sonho de amor desconhece o impossível.
Sem nunca ter tocado teu corpo
Entreguei-me a tí sem resistência
Recuso-me a retornar da quimera ter-te comigo
Antes mesmo de ve-la sabia que existias
E existindo motivou-me...
O teu andar desperta-me
Teus braços regentes harmonizam
A primeira sinfonia do meu existir
O som da tua voz, a sinfonia segunda reverbera em meu coração,
Acalentando a alma que chora não mais.
Não mais se mistura ao desejo o soluço mas o gôzo.
O som da tua voz impressona a minh'alma.

Obra de Zetigre. (Evandro)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Céu da boca

Bem desenhada sua boca esboça um beijo.
Aceito, logo sucessivos abraços desencadeiam avassaladora lascívia.
Lapso encantado momento infinito,
Sua tez responde com alterações perceptíveis de temperatura.
Seios de consistência firme adoçam o céu da boca.
Sensíveis seus delicados flancos felizes reagem às mãos que não param.
Embalam ao som de uma canção audível apenas aos que amam.
Relevos superiores são brevemente abandonados,
Desce o céu da boca, sobe por íngremes flancos ao topo.
Consistências com novos relevos e sabor se experimentam.
Respiração acelerada e gemidos não se calam.
O céu não pode esperar, embalado que é pelo frenesí da tua volúpia.
Espasmos em série abalam o céu em seu Universo.
...O arfar se acalma. Abandona o céu do flanco o topo.
Redesenha o esbôço do beijo.
Desce ao relevo superior, de onde se inicia uma cavalgada e um sonho
A cavalgada se interrompe mas o sonho a torna infinita...

Obra de Zetigre.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Fran, voce inspirou...

Rédeas do destino

Sonho que não termina sob teu desfilar...
Como as rédeas do destino,
Longas tuas crinas dão apôio ao teu galope
Conduzem a um mundo conhecido de muitos sentidos, império do prazer.
Há virtude em teu olhar que não vejo,
Crinas esvoaçantes assolam-me o rosto.
Anima-me o teu balanço...
Já não sei se condutor ou passgeiro sou,
Tal é a sintonia entre nós.
Calorosa é a recepção que encontro entre os pilares do templo teu corpo.
Vulcânicos jôrros preenchem um espaço que reservaste a mim, amor da minha vida.
Nossa viagem faz uma escala e recomeça.
Magia em tua voz é desintegração atômica.
Refeito estou e meus lábios passeiam em teu colo
Os pilares do templo se dobram permitindo o acesso.
Em tua homenagem se dobra o meu coração,
Como por tí redobram os sinos que ora ouço.

Obra de Zetigre.
Loading...