quinta-feira, 26 de abril de 2012

Quimera

Seja esse encontro, particularmente nosso...
Testemunham a minha quiemera ter-te comigo, tú e eu

Perante os colossos da criação Divina,
Somente não passam despercebidos
O forte brilho do teu olhar que me encanta, e
As ondas que produzem o teu caminhar que me embalam

Silencia o tudo à nossa volta
Estamos à sós...

Adentro as janelas teus olhos
Aonde saúda-me a tua alma

O meu amor se revela ao teu pensamento que me acolhe, mas
São os teus lábios que me servem o néctar do desejo
Alimento inebriante furor que a tudo consome

Receptivas tuas mãos são pétalas que
Acariciam-me a face enquanto mãos outras,
Dialogam na linguagem dos que se amam

Os espasmos dos nossos corpos e alma
Expandem-se rumo ao infinito interior que não os contêm...

As revoluções e choques das massas dos corpos,
Resultam em turbulência que pacificam, e extratos de êxtase

É o suave teu gemido, e
O arrefecer das tuas ondas que me confrontam

O úmido calor que de tí emana me revigora

Os semi abertos teus olhos se declaram e os saúdam a minh'alma,
Reunindo-nos em abraços e sussurros e
Sonoros beijos e gemidos que deflagram um ritual que termina jamais...

By Evandro Zetigre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...