segunda-feira, 1 de agosto de 2011

AUSÊNCIA ...

DERRAMA A NATUREZA DO ALTÍSSIMO O SEU LAMENTO,
LA FORA O ODOR DA TERRA MOLHADA PREENCHE O ESPAÇO...
ASSALTA-ME A LEMBRANÇA DA TUA PRESENÇA
ENQUANTO OBSERVO OS ARREDORES DO MEU REFÚGIO À TUA PROCURA
MAS NÃO TE ENCONTRO.
NÃO PODES OUVIR MEU CORAÇÃO QUE CLAMA POR TUA COMPANIA,
ENTÃO COMPENSO-ME COM A NATUREZA QUE COM O PRODUTO DO SEU SOFRIMENTO,
ABASTECE CAMPOS FLORIDOS E ÁRVORES FRONDOSAS.
PURIFICA O CORPO A ÁGUA DA VIDA, A ALMA E PROMOVE O RENÔVO.
A TUA AUSÊNCIA SE DERRAMA SOBRE MIM
MAS O RESULTADO NÃO TEM O PODER DE RENOVAR A VIDA À VOLTA
APESAR DE TER ESSE PODER O AMOR.
FORMAM-SE EXPRESSIVAS PALAVRAS COMO CONSEQUÊNCIA DA TUA AUSÊNCIA,
PALAVRAS QUE INCESSANTEMENTE EXTERNAM E RENOVAM OS FLORIDOS
CAMPOS FÉRTEIS DO MEU AMOR POR TÍ.

OBRA DE ZETIGRE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...