quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sede de voce...

Sigo-te em teus rastros ao longo do teu caminho,
Transfigurando-se-me o desejo em nova senda sob o teu desfilar.
Meus são os lábios agraciados ao toque desnudo das
Plantas dos teus pés que nos levam ao deleite mútuo sobre a alva.

Entrego-me ao ritual que encanta e energiza ao corpo e à alma,
Teu corpo sobre o meu.

Dominadora, assola-me com a sedução da suave tez, e
O calor úmido da tua confessa boca, ser de tudo capaz provocada fosse...

Extratos corpóreos resultantes, represa hormonal,
Assumem a trajetória, rumo alvo teu gôzo.

Transpiras luxúria em cada poro e
O frenesí da tua volúpia,
Conduz-me ao recôndito das entranhas tuas emocionais...

Não quero partir mas,
Como as ondas do mar, também
A tua volúpia é assolada como a rocha, que
Banha-se nas ondas irresolutas.

Irresoluto mover frenético avança em intensidade,
Ao som de agudos gemidos teus, pré-extasiantes.

Possibilita a altura da maré,
A mudança de curso da navegação,
A proa, tua boca, zarpa do feliz porto meus lábios.

Revela o visualizado reflexo no teto,
O novo rumo, destino mais que desejado.

Resquício remanescente do vermelho batom,
Indica teu novo destino, mal posso esperar...
Tranforma-se em néctar, o sal da minha pele para
Ao teu paladar conquistar.

Navegas decidida, resolvida Mulher, não queres parar...
Aguardo ansioso a tua chegada para te saudar e
A minha sede de tí poder saciar...

By Evandro Zetigre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...