terça-feira, 23 de outubro de 2012

Decifra-me...



Flutua a redondeza da Terra, habitado planeta, no
infinito vazio enigmático...
Espalhadas em formas tangíveis, aprazíveis tuas
redondezas insinuam a revelação...

A longa estrada como o vazio enigmático oculta
segredos e chaves para o acesso às portas do
desejo.
Decifra-me... dizem os teus olhos que abrem uma
janela dimensional

Derrama o firmamento sobre o alto da montanha,
o seu lamento.
Flutua o meu amor sobre a redondeza do Mundo
É o teu corpo a orígem do meu mais intenso prazer,
mas a tua ausência protagoniza a peça do meu mais
profundo tormento

Eu te amo...
E sofro. e choro lágrimas de rubra tonalidade que
sem mãos de artista, ao acaso produzem na veste da
Alma externa,
O semblante da tua face, cujos
Olhos iluminados pelo Sol nascente
Vêem-me no infinito do
Amor por tí que abrigo em mim

Preenchem as tuas formas, um vazio enigmático sem
fim...

Evandro Zetigre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...