quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Minha tela, teu corpo II

Fossem os meus lábios o pincel de um artista,
fossem as curvas desse teu corpo,
A tela
Onde expressaria meus sentimentos,
Poderiam faltar-me as palavras,
Poderia faltar-me o vil recurso material,
Poderia faltar-me até o ar que sustenta a existência,
Sobejaria porém indestrutível aliança
Que não compra ouro nem prata,
cuja origem antecede ao primórdio da vida,
Cujo fim não está programado na criação.
Existe na centelha do teu olhar,
Potencialisando a grandeza do meu amor por tí, que
Motiva na graça do teu existir...
Transformadora é a vida que emana de tí.
Navegar é preciso e as ondas se confundem com as curvas,
Expandindo-se em altos e baixos relevos.
Fundem-se as almas e os lábios, motivando
O existir de uma nova história descrita pelo artista do amor
Em Sua tela de carne e osso interativa...
Uma história que não tem fim é descrita na tela teu corpo...

Obra de Zetigre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...